Subscribe:

Labels

domingo, 16 de outubro de 2016

INFORMES


87º Aniversário da Missão Evangelizadora do Nordeste

Dias 9 e 10 de setembro, aqui em nossa igreja.
Palestrante: Pr. Isaac Fernandes
Louvor: Renato Lima e Elioenay; Cantora Tânia e Cantor Cézar Lima

Alvos de Aniversário da MEN

– Escola Bíblica Dominical 2017 –
CLASSE ……………………..  ALVO R$
  • CASAIS ………………………………….. 600,00
  • DÉBORA ……………………..….……..... 400,00
  • LÍRIO DOS VALES ………….....……….. 400,00
  • OFICIAIS ……………………….……….. 400,00
  • Pr. JOÃO CLÍMACO XIMENES ..........… 600,00
  • SARA KALLEY ………………………… 600,00
  • BEREANOS ………………………..……. 200,00
  • ESTER ………………………………...…. 400,00
  • MOCIDADE ………………………..……. 400,00
  • ADOLESCENTES …………………....….. 200,00
  • CRIANÇAS ……………………………… 100,00
(“Deus ama ao que dá com alegria“)
---------------------------------------------------------------

“Unidade, um PILAR do Cristianismo. (Salmos 133)”


O que é a união entre irmãos (v.1): “Quão bom e quão prazeroso é os irmãos viverem unidos!”. O salmista tem o intuito, não de falar sobre junção, apenas de pessoas em uma reunião ou festa. Sua fala é de uma união duradoura, consistente e sólida. Ele não fala de um fato circunstancial, mas um estado de algo saudável, prazeroso.
Essa unidade é descrita com dois adjetivos: 
O primeiro deles é “bom”. Isso quer dizer que há benefícios coletivos e individuais no vínculo fraternal. Em outras palavras, há valor prático positivo nessa unidade comunitária.

O segundo adjetivo é “prazeroso”. Este prazer de união proporciona uma sensação maravilhosa, aconchegante, e toda alegria é proporcionada pelos sentimentos dos irmãos e não por situações externas gerando este prazer da união dos irmãos. Não podemos desprezar a união entre irmãos, quer seja de sangue, ou em Cristo. Vemos também que a união tem suas comparações para validar a importância da união:

1 – É o “óleo (azeite) perfumado” (v.2a): “É como o óleo aromático [derramado] sobre a cabeça”. O óleo no contexto bíblico tem seus valores como usá-lo no balsamar alguém; servia como remédio para curar ferimentos, na consagração de sacerdotes e reis. A importância que o salmista Davi compara tem sua grande importância como a consagração de um sacerdote. Além dos benefícios naturais do óleo, Davi associa sua imagem à consagração de Arão, no qual o óleo representava não apenas a separação dele e de seus filhos para o serviço do Senhor, como também a perpetuidade do chamado (Êx 40:13-15).
2 – O segundo é o “orvalho” (v.3a): “É como o orvalho do Hermom que desce sobre os montes de Sião” Geograficamente, essa descrição é impossível de ocorrer já que o monte Hermom fica no Extremo Norte de Israel, local de onde brota o rio Jordão, e o monte Sião é localizado em Jerusalém, cerca de duzentos quilômetros ao sul. Além disso, a água que desce do Hermom corre pelo Jordão, mas não pode subir morro acima até Jerusalém. Contudo, o salmista não está pensando em termos geográficos, mas, sim, em termos teológicos. Nesse sentido, as águas abundantes que descem do Hermom, atravessando Israel de norte a sul, produzem: suprimento e a bênção.

A união traz sobre nós a provisão do Senhor e a sua Bênção. Todo esforço que fazemos em manter a união da Igreja nos tornara saudáveis, alegres e esta ação atrairá a bênção do Senhor sobre nós.

Pr. André Moraes
------------------------------------------------------------------------------------

O texto acima foi Publicado no Boletim Semanal nº 1113, de 12/02/2017

O Editor
----------------------------------------------------------------------------------------------------

"A felicidade de um homem de Deus"

(1º Domingo de Fevereiro – Dia do Homem Congregacional)
O salmista se expressa no salmo 128 que “feliz é o homem que teme ao Senhor e anda nos seus caminhos”. Essa felicidade pode ser vista na maneira como tal homem se relaciona com Deus nas diversas situações da vida.

Em primeiro lugar o verso 2 nos chama atenção para a relação com o trabalho. Embora a mulher tenha alcançado o seu papel com dignidade e respeito na sociedade, cabe ao homem um papel importante e inseparável na sustentação e manutenção do lar, tanto no âmbito social como psicológico. Trabalhar para o homem não envolve apenas pôr comida na mesa, mas satisfação pessoal nas conquistas estabelecidas por Deus no processo de parceria da construção cultural e social aqui na terra que começa no Gênesis.

O verso 3 nos traz uma segunda relação: a relação com a família. Aqui o homem encontra felicidade no aconchego do lar. Essa volta ao final de um dia ou depois de uma longa noite de trabalho se apresenta como renovo. Encontrar Videiras (Sinal de Alegria) e Brotos de Oliveiras (Sinal de Longevidade) aponta na direção de um crescimento progressivo e sadio expresso na forma de frutos que é a assinatura da aprovação de Deus.

Os versos 4º e 5º falam sobre ser abençoado desde “Sião” (Jerusalém, onde o templo se encontrava). Nessa relação o homem que teme ao Senhor envolve sua família também no serviço da adoração pública.

O salmo termina no verso 6 falando de um legado deixado por esse homem (os filhos dos seus filhos, v6). Não existe satisfação ou felicidade maior do que a certeza do trabalho terminado. Trabalho de toda uma vida que agora será perpetuado e continuado por nossos descendentes, gerando “Paz” sobre uma sociedade mergulhada na escuridão deste mundo.

Por isso louvado seja o Senhor nosso Deus, por ter nos presenteado homens assim – Congregacionais Valentes – que, mesmo diante das lutas da vida, não negam sua Fé. Homens simples, servos corajosos, pais, avós ou filhos, que na luta diária crescem dia-a-dia no temor do Senhor.

Que o seu exemplo de vida reflita em nosso dia-a-dia, e que cada um de nós possamos aprender com a sua bondade. Espero que, a cada ano, vocês adquiram novas forças e que continuem firmes e vencendo sempre.

Deus está do seu lado e terá sempre uma benção para te oferecer.

Parabéns aos Homens Congregacionais pelo seu dia!!!

Pr. Alexandro S. Felizardo (Superintendência da EBD)

------------------------------------------------------------------------------------

O texto acima foi Publicado no Boletim Semanal, nº 1112, de 05/02/2017

O Editor



A Salvação do SENHOR!

PORQUE TODO AQUELE QUE INVOCAR O NOME DO SENHOR, SERÁ SALVO!
(Rm 10:13)

Uma leitura rápida do versículo acima citado nos levará à conclusão de que a alma que Invocar o nome de Deus, confiar em Deus, apelar consequentemente a Deus e reconhecer a Deus, essa será salva. Isso demonstra uma atitude que brota de coração dependente de seu Salvador. Mas gostaria de conduzi-los a analisar estas palavras com um pouco mais de detalhes.
Aqui existe algo muito amplo na expressão: “Todo aquele.” Isso inclui os homens negros, vermelhos, amarelos e brancos. Inclui os homens ricos e pobres, jovens, velhos, crianças e mulheres. Isso inclui a toda classe de pessoas, também aquelas que não pertencem a nenhuma classe ou castas (como na Índia), ou, a todas as classes juntas. “Todo aquele” – estou certo que isso inclui a mim, inclui a você que estás sentado no banco da Igreja, na rua, na padaria, no ônibus, debaixo da ponte, no corredor da faculdade, em Wall Street (NY) ou na comunidade mais simples deste país. A você que vive no anonimato da vida ou nas luzes dos holofotes, na vida urbana ou rural. A você que é estrangeiro ou residente neste mundo.
Mas quando o Senhor diz: “todo aquele”, eu e você não podemos ficar de fora desse círculo. Trata-se de uma grande rede dentro das responsabilidades humanas, que emaranha a todos os homens em suas malhas. “Todo aquele.” Se eu invoco o nome do Senhor, se você invoca o nome do Senhor, se o homem que jaz doente em seu leito invoca o nome do Senhor, seremos salvos. Quão ampla é essa palavra “Todo aquele”!
Assim, quando nos encontramos diante de uma dificuldade que requeira socorro sobrenatural, que essa verdade seja expressa primordialmente em nossos lábios, certos de que Ele nos ouvirá: 
“TODO AQUELE QUE INVOCAR O NOME DO SENHOR, SERÁ SALVO.”
COMECEMOS A INVOCAR O NOME DO SENHOR NESTE DIA, MEDIANTE UMA FERVENTE ORAÇÃO!
Pr. Alexandro Felizardo


Texto Publicado no Boletim Semanal nº 1094, de 02/10/2016

Editor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Construindo o LAR dentro da Casa

“Caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram contra aquela casa, e ela não caiu, porque tinha seus alicerces na rocha.” (Mateus 7:25).Na busca de uma qualidade de vida melhor, nós procuramos meios para ter uma moradia melhor, ter aconchego, descanso e conforto dentro de nossas casas.Quando temos condições, buscamos reparar os rebocos da parede, pintar, mudar o piso, ampliar cômodos, enfim, tentando melhorar o ambiente da nossa casa, sendo ela própria ou alugada.img_3654O desconforto causado pelo mofo, pela infiltração, por uma parede caindo, é mínimo diante das provações familiares, da rebeldia de um filho, do descaso de um marido, da frieza da esposa, do abandono que o avô está sofrendo, do desprezo que a vovó está suportando e da possibilidade de um casal em se separar.O desafio que enfrentamos hoje como família não é justamente reformar, comprar casas ou apartamentos, mas construir um Lar dentro delas.Construir sua “casa em cima de uma Rocha” (Mateus 7.24) é justamente edificar seu Lar através dos princípios da Palavra de Deus, dos ensinamentos que Ela traz do que é ser “Marido e Esposa” (Efésios 5:22-33), que é ser “filho” (Efésios 6:1-2), do que é ser “vovó” e “vovô” (Tg. 2:2-8).
Não adianta sonhar com uma bela casa, com todos os móveis, com todos os eletrodomésticos, com carros na garagem, sem antes estruturar um lar, uma família que é realmente a conquista para preencher todos os cantos da casa. Não adianta comprar tudo, sem que o verdadeiro TUDO das nossas vidas não está presente: “DEUS”Vivemos numa sociedade em que muitos dizem que a Família Tradicional acabou; que casamento não existe mais, que ter filhos é um peso. Sabemos que Deus não pensa assim.Deus quem institui a família na terra criando “homem e mulher” (Gênesis 1:27), disse a eles, “cresçam, multipliquem, encham a terra” (Gênesis 1:28).Deixou escrito que “os filhos são herança do Senhor” (Salmos 127:3), que o mesmo deve “honrar seu pai e sua mãe” (Efésios 6:1-2).A única forma da família prevalecer não é pensar em adquirir casa ou apartamento, mas dentro desta casa constituir uma família, pessoas que se amem, se respeitem que busquem a Deus, de um lar onde sua maior riqueza é o amor mútuo, a dedicação e a ação do Espírito Santo de Deus. “Família, é o único edifício que sua construção se inicia de Cima para baixo, de Deus para os homens.”
Pr. André Moraes


Texto Publicado no Boletim Semanal nº 1095, de 09/10/2016

Editor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------ 


“VIDA RESTAURADA POR DEUS – Jeremias 18” (parte 2 – Conclusão)

“E DESCI À CASA DO OLEIRO, E EIS QUE ELE ESTAVA FAZENDO A SUA OBRA SOBRE AS RODAS”.  (Jeremias 18:3). Quando obedecemos a Deus significa que o amamos. “Quem não me ama não guarda as minhas palavras; ora, a palavra que ouvistes não é minha, mas do Pai que me enviou”. (João 14:24).Este lugar chamado CASA DO OLEIRO sempre está em trabalho. Deus não dorme.“COMO O VASO QUE ELE FAZIA DE BARRO QUEBROU-SE NA MÃO DO OLEIRO,…” (Jeremias 18:4).O barro na mão do oleiro estava criando forma de vaso, mas se quebrou. Aqui não é o oleiro que não tem condições ou falta de habilidades para fazer o vaso. O vaso começou a ter uma forma que o oleiro não se agradou. Há momentos da nossa vida que seremos quebrados várias vezes; seremos provados em uma determinada área; muitas vezes seremos repreendidos por Deus em todo tempo que for necessário.“…TORNOU A FAZER DELE OUTRO VASO, CONFORME O QUE PARECEU BEM AOS OLHOS DO OLEIRO FAZER”. (Jeremias 18:4). É Assim que acontece em nossa vida – Deus nos molda. Quando nos permitimos ser moldado por Deus, tudo vai criando sua forma. Quando deixamos o nosso orgulho, nossa avareza, Deus nos molda perfeitamente. Tudo o que Deus faz é perfeito. Deus quer que sejamos vasos de honra. De sorte que, “se alguém se purificar destas coisas, será vaso para honra, santificado e idôneo para uso do Senhor, e preparado para toda a boa obra”. (2 Timóteo 2:21). Deus quer nos conduzir em seus mandamentos. Que cada um de vós saiba possuir o seu vaso em santificação e honra. (1 Tessalonicenses 4:4).Amado(a), permita Deus te quebrar, e você – com certeza – desfrutará experiências profundas e tremendas de uma vida RESTAURADA POR DEUS.
Pr. André Moraes

O texto acima foi Publicado no Boletim Semanal, nº 1091, de 11/09/2016 

Editor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------ 


“Um resumo do início da Aliança das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil”

No ano de 1959, com a realização do 1° Encontro Nacional de Renovação Espiritual, em Belo Horizonte – MG, que teve a participação do pastor Jônatas Ferreira Catão, a Igreja Congregacional em João Pessoa é destaque no cenário do Avivamento Espiritual. Pouco depois, se juntam a esta visão a Igreja Congregacional em Campina Grande – PB (Pr. Raul de Souza Costa), 2ª Igreja Congregacional em Campina Grande – PB (Pr. João Barbosa de Lucena), Igreja Congregacional de Patos – PB (Pr. José Quaresma de Mendonça), Igreja Congregacional em Alagoa Grande – PB (dirigida à época pelo presbítero Dr. Guimarin Toledo Sales), Igreja Congregacional em Totó, Recife – PE (Pr. Isaías Correia dos Santos), Igreja Congregacional em Casa Amarela, Recife – PE (Pr. Roberto Augusto de Souza), igreja Congregacional no Pina, Recife – PE (Pr. Moisés Francisco de Melo) e uma congregação em Caruaru – PE, dirigida à época pelo Pr. Jônatas Catão.No ano de 1967 uma contagiante renovação espiritual alcançava as igrejas evangélicas históricas do país. Igrejas foram visitadas, pastores contatados e convocado um Concílio para a fundação do novo órgão denominacional, com instalação no dia 13/08/1967, no Templo da Igreja Evangélica Congregacional de Campina Grande – PB.Em todas as conversações prévias, visitas a pastores e sugestões de direção, o trabalho do Pr. Jônatas Ferreira Catão foi de um valor inestimável.No dia 13 de agosto de 1967, um domingo, as delegações das igrejas foram recebidas na Igreja Evangélica Congregacional de Campina Grande. Muitos líderes vieram ao evento e, no dia 14/08/1967, foi realizada a primeira reunião administrativa, onde foi fundada a ALIANÇA DE IGREJAS EVANGÉLICAS CONGREGACIONAIS DO BRASIL, e eleita por aclamação a sua primeira diretoria:Pres. Raul de Souza Costa  /  1° Vice-Pres. Jônatas Ferreira Catão  /  2º Vice-Pres. Geraldo Batista dos Santos  /  1º  Sec. Presb. Euclides Cavalcanti Ribeiro / 2º Sec. Presb. Euclides Gomes da Costa /  1º Tes. Osmar de Lima Carneiro  /  2º Tes. Presb. Caitano Antônio da Silva.Hoje temos uma denominação forte e vibrante, com igrejas, campos missionários, muitos pastores e milhares de membros.Agora, mais do que nunca, as palavras do hino que foi um marco naquela época se fazem valer:

aspas_e
Obra Santa do Espírito
Esta causa é do Senhor
Como um vento impetuoso
Como fogo abrasador
Estamos sobre terra santa
Reverente e muito amor
Esta hora é decisiva
Vigilante e de temor.
Ninguém detém! É obra santa …
aspas_d

CLIQUE AQUI E LEIA NA ÍNTEGRA O ASSUNTO ACIMA, DIRETO DA FONTE


logo aliança congregacional

Aliança das Igrejas Evangélicas

Congregacionais do Brasil

1967 – 2016



Acesse a matéria de capa do Boletim Semanal, de 21/08/2016, Clicando Aqui!

Título:

EDIÇÃO COMEMORATIVA!!!
49 Anos da Aliança das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil

“A Primeira Congregação Congregacional”

Pr. Joelson Gomes
Pastor-Auxiliar da Primeira Igreja Congregacional de João Pessoa-PB.
Editor
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------ 


EBD E MISSÕES - Abril/2016


Todo primeiro Domingo de cada mês é caracterizado pela realização, à noite, do Culto especial de Missões. A EBD, aproveitando a oportunidade neste dia, abordou sobre este tema em sua programação.

IMG_8482.1O atual e eficientíssimo Superintendente da Escola Bíblica Dominical, irmão Ir. Tchaykowiski Oliveira, de características espirituais e didáticas exemplares, eleito para o período letivo da EBD no ano de 2016, esteve na Direção da escola (Vídeo 01), tendo o Co-Pr. Alexandro Felizardo e Pr. Aux. André Moraes como colaboradores na programação da EBD deste dia 03 de abril de 2016. (confira imagens abaixo].
Antes de dirigir uns cânticos com a igreja, o Pr André cedeu a palavra ao Pr. Alexandro que agradeceu à igreja pelas felicitações recebidas em virtude de seu aniversário natalício acontecido no último dia 30 de março (Vídeo 02). O Pregador foi o Pr. Aux. André Moraes que abordou no Evangelho de João, capítulo 3, versículos de 1 a 7; complementou com o versículo 16, do mesmo capítulo.
A musicalidade desta edificante EBD contou com a participação do pianista e Evangelista Jessé de Oliveira Brito, no acompanhamento dos hinos cantados. O Grupo Musical ‘Adorando’ também teve uma brilhante participação, tendo à frente o atual presidente da mocidade, o irmão José Adriano Júnior (Vídeo 02 – a partir dos 5min.). O Grupo de Coreografia Semearte também comunicou à igreja suas mensagens coreográficas, com seu uniforme vermelho e preto, com estampa amarela (Vídeos 03, 04 e 05) . Por fim, o Diácono Giuliano dirigiu congregacionalmente Hino nº 341 do Salmos e Hinos – “Vaso de Bênção” (Vídeo 09).

Abertura da EBD com o Superintendente Tchaykowiski
  
A seguir, fotos do Grupo Adorando [Clique no centro na imagem]
A seguir, Vídeos da EBD com o Grupo Semearte
        

A seguir, Vídeos da Pregação da Palavra com o Pr. André Moraes
  

A seguir, outras fotos – final da EBD – Missões – 03/04/2016

A seguir, Vídeo 08 (Informes do Superintendente sobre a EBD). Vídeo 09 (Hino 341 – Vaso de Bênção)
  

Editor



 “A DESPEDIDA - Palavra Pastoral”

Com a saída de Judas, Jesus sabia que dispunha de pouco tempo. Nunca tinha saído ao encontro dos sinedritas para desafiá-los, dizendo: ‘façam de mim o que quiserem’. Ele sempre procurou refugiar-se.

Quando Judas desapareceu nas sombras da traição Jesus começou a sentir as garras da iminente morte, no meio da desagregadora tensão interior, onde poderia instaurar sua forma de provocar uma relação com os que dariam continuidade ao seu ministério.
Judas1Foi neste clima que o banquete pascoal se transformou numa reunião de angustiantes recomendações e indícios de amarga despedida.
O ritual da costumeira reunião diz que atrevidamente foi rasgado pelas mãos de Judas que joga ao vento a memória do amado Mestre.
Ao lavar os pés dos discípulos, o Cordeiro de Deus manifesta a doçura do seu coração – recomendando que assim procedessem seus discípulos [seguidores].
Depois de oferecer o cálice (sumo transbordante da videira) Jesus insiste em fazer os discípulos lembraram-se que tal ato deveria ser feito em memória dele, por ser a nova aliança no seu sangue derramado por muitos.
Penso que o Cristo transcende todas as marcas do tempo para instaurar as marcas da sua preciosa graça, imputando o que abrangeria o mais profundo do ser humano.
Entendo que Deus está anunciando que toda existência humana tende a dobra-se sobre si mesma, num inquietante círculo de egoísmo.
Ele mesmo transformou a escravidão e a angústia em alegria plena.
sangue_umbrais_portaOs antigos não esqueceriam os umbrais das portas aspergidas, bem como um acentuado número de sacrifícios foram realizados pelos sacerdotes.
Agora, diria Jesus, esse pacto foi selado: ‘Ofereci meu sangue no cálice que meu Pai me deu’.
‘Lembrem-se de mim (pela morte) sempre que se reunirem para partilhar os atos da sublimidade da fé, e eu estarei convosco até a consumação dos séculos.’
É impossível esquecer que os pés do Mestre amado:
a) Percorreram as rotas do pó; serpenteadas sobre os montes, hora verdes, hora acinzentados pela estiagem;
b) Anunciando a aurora das novas fronteiras, anunciando os vastos espaços da misericórdia;
c) Assentou-se à sombra dos corações para derramar óleo nas feridas das almas dos dilacerados nos fracassos da vida, colhendo com braços de perdão, sabendo que o amor acabaria vencendo a resistência do ódio.
É possível que Jesus – como homem – conhecesse muito bem os motivos da traição de Judas.
Pr. Samuel Dionísio de Veras
Publicação do Boletim 1067, de 27/03/2016
('Continuaremos na próxima semana')
Editor





“QUANDO JESUS ESTÁ EM CASA” (Mc 2:15)

Lar é uma palavra que soa bem aos nossos ouvidos. Como é gostoso um lar onde Deus reina!

Ao estudarmos a Bíblia Sagrada aprendemos que Deus, desde o início, sempre teve preferência por se manifestar em “casas” em ambientes familiares. Em “casa” e “ao redor das famílias” foi o palco onde se desenvolveu a maior parte do ministério de Jesus. Em Jerusalém a igreja, conforme Atos dos Apóstolos, se reunia no templo e de “casa em casa” (Atos 2:46). Paulo saúda a igreja que se reúne na casa de Priscila e Áquila (Rm 16:3-5). O texto (Marcos 2:1-5) que lemos, nos mostra claramente que diferença faz “Quando Jesus está em nossa casa.”
igreja_comunidadeO NOSSO LAR É UM LUGAR DE AFLUÊNCIA – [v.2].
“…e logo correu a notícia que ele estava em casa. Muitos afluíram para ali…”
A notícia de que Jesus estava naquela casa atraiu muitas pessoas, pois embora Jesus estivesse no início de seu ministério, muitos já sabiam que Jesus tinha poder para fazer. Quando Jesus está presente o ambiente é de fé, confiança e alegria. As pessoas gostam de estar em lugares assim. A casa estava cheia, e Jesus anunciou a Palavra – [v.1,2].
O NOSSO LAR É UM LUGAR DE ESPONTANEIDADE, CRIATIVIDADE E AJUDA MÚTUA – [v. 4].

“E, não podendo aproximar-se dele, por causa da multidão, descobriram o eirado no ponto correspondente ao que ele estava e,  fazendo uma abertura, baixaram o leito em que jazia o doente.”
Diante do obstáculo eles não recuaram. Foram perseverantes, criativos e unidos na busca de uma estratégia para alcançar seus objetivos. A presença de Jesus nos motiva a transpor obstáculos e superarmos os limites para não somente resolver nossos problemas, mas também para abençoar a vida de outros. “Tudo posso naquele que me fortalece” (Fp. 4:13).

085622igreja_primitivaO NOSSO LAR É UM LUGAR DE CURA DAS CICATRIZES EMOCIONAIS,ESPIRITUAIS, FÍSICAS E MORAIS – [v. 5].
Quantas feridas causadas pelos ressentimentos, palavras, ofensas…
“Vendo-lhes a fé, Jesus disse ao paralítico: Filho, os teus pecados estão perdoados.”
Embora esperassem apenas a cura física, ele recebeu muito mais: – recebeu a cura espiritual, a salvação da alma. Jesus não quer somente melhorar a vida das pessoas, ele quer salvá-las integralmente. “Corpo e alma”. Não podemos nos esquecer que a nossa missão é compartilhar Jesus como Salvador para as pessoas. Nesse sentido nossa missão se assemelha ao que fizeram aqueles quatro homens levando o paralítico até Jesus. Precisamos levar as pessoas para Cristo.

O NOSSO LAR É O LUGAR DOS SONHOS, DE ALIMENTAR ESPERANÇAS REAIS QUANTO AO FUTURO, DO ENCORAJAMENTO AMOROSO E SINCERO – [v. 12].
Provavelmente aquele paralítico não tivesse muitas esperanças quanto ao futuro.
Numa visão meramente humana suas chances de mudanças eram nulas. Ele era paralítico, incapaz, inativo…
No entanto, ao encontrar-se com Jesus, suas esperanças renasceram.As palavras de Jesus curaram sua vida. Ele agora poderia sonhar novamente. As palavras de Jesus o encorajaram a se “levantar” e o leito – que era o símbolo das suas limitações e frustrações – agora torna-se símbolo da sua vitória, para testemunho do que Jesus fizera, e para glória de Deus.

O LAR ONDE JESUS ESTÁ É “REPLETO DE SONHOS” E NÃO “CEMITÉRIO DE ESPERANÇAS”.
A vitória do Senhor reina sobre nossas vidas! A semelhança do que ocorreu naquela casa conforme registra Marcos, NÓS TAMBÉM PODEMOS EM NOSSAS CASAS EXPERIMENTAR A MARAVILHOSA DIFERENÇA QUE FAZ COM A PRESENÇA DE JESUS. Que mudança Jesus tem realizado em tua casa? Em tua vida? Quer experimentar a gloriosa mudança do Senhor em sua vida? Mantenha firme sua casa em Cristo Jesus. Não esqueça também que a Igreja é a extensão de sua casa, pois cada membro, congregado, visitante – estão reunidos como família de Cristo.

Pr. André Moraes

Texto publicado no Boletim semanal nº 1061, de 14/02/2016

Editor








Os olhos são os órgãos importantíssimos para o ser humano.
Com eles nós discernirmos as coressabemos as formas geométricas das coisas, sabemos sobre ângulos, altura,profundidadedistâncias, beleza ou feiura; são eles que nos ajudam a direcionar para onde planejamosenfim, “Os olhos são a candeia do corpo. Se os seus olhos forem bons,todo o seu corpo será cheio de luz” (Mateus 6:22).

sintomas-da-miopiaA VISÃO ATRAPALHA, ÀS VEZES, A COMPREENSÃO DOS FATOS.
– O poder de usar a informação visual não depende apenas de ver, mas também de compreender o que foi visto.
– Às vezes não conseguimos discernir e entender o que está acontecendo.
ESTA É A VISÃO EMBARAÇADA
A VISÃO ÀS VEZES CONDICIONA A PESSOA A ESTACIONAR OU PARAR SEUS OBJETIVOS.
As adversidades ou problemas que vemos são as razões de gerarem medo.
O medo tem sido o fator vital de não mais continuarmos.
ESTA É A VISÃO LIMITADA

A VISÃO PODE CONDICIONAR A PESSOA AO FRACASSO
Dependendo do que vemos – crise, catástrofes e outras condições extremas – podem ser o pivô do nosso fracasso.
Por isso, diante de tudo, nós não podemos apenas ficar no campo da visão; temos que entrar no campo do exercício da fé, a confiança em Jesus Cristo.
(Hb 11:1) – “Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperame a prova das coisas que se não vêem.

visão e féA fé não cega o homemmas faz o homem enxergar além das muralhas, além do inacreditável, tornando acreditável.
Do impossível ao possível.
Temos que entender que ‘a montanha nunca será maior que a fé’.
ESTA É A VISÃO CEGA.

Quem crê em Deus terá uma visão que alcançará além dos montes (vs 1)
Isaac Newton disse: “Se eu vi longe foi por estar sobre ombros de gigantes”.
Quem crê em Deus, seus olhos verão o seu Socorro (vs 2).
Quando confio e me entrego a Ele, veremos o seu Socorro.
Jesus disse quando estava diante do túmulo de Lázaro: “Se credes, verás a Glória de Deus” (João 11:40).
Quem crê em Deus e confia nele, não tropeçará (vs 3).
Quem tem seus olhos em Deus não tropeçará no engano, na mentira, nas pedras do caminho.
Jesus mesmo disse que ele era o caminho.
Pedro submergiu porque desviou seus olhos de Jesus – Mateus 14:30
Temos que confiar em Deus, crê em Cristo Jesus, e nossa visão irá além do alcance, além das muralhas, dos montes, dificuldades, das crises.

Pr. André Moraes

Texto publicado no Boletim semanal nº 1059, de 31/01/2016

Editor






Aproveitemos a chegada do Ano Novo como oportunidade para renovar todos os nossos propósitos de fé. Nós cremos em um Deus de amor infinitoe isso nos leva a excluir todo medo do que pode acontecer neste ano de 2016 – então, deitemos fora toda insegurança, tristeza ou amargura.
Essa posição inclui a certeza de vitória permanente em todos os empreendimentos que programarmos para o ano que chega. E o elemento essencial é a fé inabalável, destemor, pois o Pai quer o melhor para nós em 2016!
alegriaQuem sabe não seria oportuno, neste mundo inseguro e violento, em que a moral e a economia sofrem com solavancos, afirmar bem depressa que cremos na providência do Senhor e que comemoraremos com alegria o fato de podermos entrar, com sorriso vitorioso e fé, neste ano?
Os valores morais do Ocidente estão gerando permanente dúvida. Em nenhum lugar – nem nos Estados Unidos, nem na Europa, nem mesmo entre as nações emergentes, como o Brasil – há certeza de que caminhamos para algo melhor. Tudo isso que nos rodeia e promete vida mais fácil e cômoda, com menos esforço e resultados positivos, nos fala de algo melhor. A família cristã não está, no redemoinho de mil inovações, mais preparada para ajustar-se aos ideais divinos propostos biblicamente? Isso não implica em recusarmos as novidades boascertamente; serve como alerta para não fecharmos os olhos e abraçarmos o mundo de facilidades que a tecnologia moderna nos trazNão podemos nos empolgar com elas e esquecer os fundamentos bíblicos, que são os alicerces para edificarmos estruturas sólidas sobre as quais possamos repousar em segurança, com o aval da aprovação do céu.
casalA mulher feliz não precisa de tanto modernismo, para, ao lado do esposo, preparar uma nova geração para a luta e firme fundamento que o Senhor traçou para todos aqueles que Ele elegeu para serem os pilares de um Ano Novoadornando de uma policromia que encanta a visão, assentado em alicerces bíblicos e aptos a melhorarem o bem estar em torno da mesa familiar durante 2016.
Pisar em terreno firme é premissa irrecusável se os objetivos que temos para esta nova etapa incluem estarem eles firmados na revelação bíblica e em atitudes condizentes com a coerência da fé cristã.
Jovens esposas, já pisando as primeiras horas boas desta nova etapa proposta por Deus, não tenham medo! Estejam, ao lado do esposo que Deus lhes deu, dispostas e aptas a viverem bons momentos de vida em seu lar. Cumpre repelir todo pessimismo, crendo firmemente que vale a pena construir um lar onde o culto doméstico seja realizado no melhor momento do dia – e isso, certamente, será sempre uma questão de adequação às realidades que a vida moderna impõe, mas não pode ser relegado, nem ocasional. É uma rotina abençoada que se realiza em poucos minutos, com leitura bíblica e oração, de preferência no começo das atividades diárias.
A Bíblia diz que os filhos são herança do Senhor. Temos que crer nissoChega de evitar filhos; vale receber a natividade como algo bom que vem do céu. Ore e junte-se ao seu esposo unanimemente. Além da escola, as horas de estudo obrigatórias são condições permanentes para os seis dias da semana. O domingo é do Senhor. A Igreja é o lugar que Ele reservou para fugir da rotina da semana de trabalho. O primeiro diabiblicamente, é como uma ilha no meio da semana. A mente precisa descansar; assim, a fé deixa de ser uma obrigação e se torna a melhor forma de lazer. Este, aos pés dodeus-e-digno-de-louvor Senhor, em meio aos louvores, na convivência do relacionamento fraterno dos fiéis, torna-se refrigério santo e desejável. Os grupos jovens das igrejas são ideais para a felicidade de um relacionamento sadio e próspero, que aproxima os irmãos e estimula o crescimento social e espiritual de cada um.
Seja, minha irmã, a líder que seu marido deseja para seu lar estável e ordeiro. Tenha o sadio empenho de colocar o divino em primeiro lugar; o lar em segundo, o trabalho em terceiro e os indispensáveis momentos em que o relacionamento familiar exige tempo e companheirismo abençoado.
Quanto ao mais, não tenham medo dos desafios desta nova etapa que começa agora em janeiro de 2016. Deus estará sempre ao nosso lado; e estando Ele presente, não há o que temer! Este Ano Novo vai ser uma bênção!
FELIZ ANO NOVO!!!!
Pr. Amaury Jardim – Revista ‘Vida Cristã’

Texto publicado no Boletim semanal nº 1054, de 27/12/2015

Editor






“CAVANDO BURACOS NO DESERTO (Salmo 84:6)” 


destaque

“O qual passando pelo vale árido faz dele um Manancial…”
Todo cristão sabe muito bem o significado da palavra deserto. Caminhamos muitas vezes por ele sem rumo nem objetivos, onde vivíamos andando muitas vezes em círculos. Nele a trajetória se torna longa e o sol sinaliza cansaço imediato. Recursos básicos são exigidos na luta diária pela sobrevivência. Atravessá-lo requer perseverança, metas e alvos bem definidos.
O segredo para vencê-lo está em Deus. Somente nele encontramos a força necessária para cavar buracos e transformá-los num oásis. Aquele que encontra forças nele certamente terá no coração caminhos aplanados (nivelados). Desejar seus amáveis tabernáculos trará convicção de chegada segura. Embora existam desertos por fora,sempre haverá oásis por dentro. O Deus que é o Senhor dos Exércitos também é o Deus de Jacó, isto é, aquele que habita conosco e conhece de perto a nossa dor. É Deus transcendente (Acima dos Céus), mas também imanente (presente). Ele dá graça e glória e não sonega nenhum bem aos que andam em obediência. Como o pardal faz com os seus filhotes, assim o Senhor colocará nossas almas em segurança.
deserto_2Nesta caminhada o Deus do Vau de Jaboque nos conclama a transformar desertos em oásis enquanto caminhamos em cima da areia quente. Cavando buracos e crendo que as chuvas de bênçãos virão. Não cabe a nós fazer chover, mas cavar e crer que a benção só virá sobre a vida daqueles que se preparam para tal momento. Reter águas no deserto em tempos de sequidão se faz necessário para aqueles que entenderam que só quando se tem reservas se consegue chegar renovado ao final de cada caminhada. Portanto,pegue sua Pá e comece hoje a fazer, com todas as forças que o Pai celestial lhe deu, o que está em suas mãos fazê-lo, e aguarde suas surpresas durante esse dia – durante toda a sua vida – pois deserto é só um lugar de passagem.
Ore neste dia para o Senhor lhe conceder a capacidade de realizar o que ele colocou em suas, objetivando sua glória.

Pr. Alexandro de Souza Felizardo
Serie Devocionais online!

Texto publicado no Boletim semanal nº 1045, de 25/10/2015

Editor




 

“UMA FONTE INESGOTÁVEL” 

destaque

“De tarde e de manhã e ao meio-dia orarei; e clamarei, e ele ouvirá a minha voz”. Salmos 55:17.
Quando amanhece o dia somos tomados pela quietude que nos é apresentada, vislumbrando-nos uma sensação da paz daquele momento. Mas é só começar o dia para percebermos que um temporal nos aguardava. Ao sermos pego de surpresa chegaremos a uma certeza no final do mesmo: Se não dá para confiar, é preciso vigiar.
É aí que a oração se torna indispensável, pois uma pequena oração de manhã pode mudar todo o seu dia. É na oração que encontraremos logo cedo a paz interna necessária para enfrentar as lutas advindas do cotidiano.
meio-diaMas orar de manhã não é o bastante; é preciso está em constante vigilância. A oração ao meio-dia diante dos sons da terra nos manterá firmes no propósito assumido horas antes quando dia ainda surgia. A oração no meio dia nos manterá de pé, nos conduzindo ao término feliz, mesmo quando surpresas desagradáveis aparecerem. Você sabe do que eu estou falando. Falo daquilo que não estava no script, ou seja, no plano agendado.
01.1O dia declina e, com ele, a certeza de lutas vencidas, batalhas adiadas e projetos em curso que ficarão para o dia seguinte, mas também é hora de agradecer pela vida vivida naquele dia e, a noite, pedir ao Senhor o renovo para o próximo dia que virá, e dizer: “À meia-noite me levantarei para te louvar, pelos teus justos juízos” (Sl 119:62).
Nosso Senhor Jesus Cristo orou no monte, Isaque orou no campo, Ezequias orou na cama com o rosto virado para parede, Daniel orou às margens de um rio, e Pedro no eirado de sua casa. Por isso não abandone a sua vida de oração. Ore sempre e em todo lugar. Ore sempre de hora marcada ou quando uma folga surgir. Ore na abundância e na escassez. Na alegria ou na dor. Enquanto semeia com lágrimas ou com alegria e molhos nas mãos.
Deus é a nossa fonte inesgotável durante todo dia, e durante toda a nossa vida sempre poderemos, em tempos bons e ruins, recorrer na sequidão de nossas almas àquele que é e sempre será uma fonte inesgotável, Jesus. Jamais esqueça suas palavras à mulher em Samaria: “Aquele que beber da água que eu lhe der… …fará nele uma fonte de água que salte para a vida eterna” (Jo 4:14).
Ore neste dia para o Senhor melhorar seus momentos de oração durante o dia, lhe dando prazer em sua presença.

Pr. Alexandro de Souza Felizardo
Série Devocionais online!

Texto publicado no Boletim semanal nº 1041, de 27/09/2015

Editor





“O INCOMPARÁVEL DEUS”

destaque

“Por que dizes, ó Jacó, e tu falas, ó Israel: O meu caminho está encoberto ao Senhor, e o meu juízo passa despercebido ao meu Deus? ”.
Todos os dias somos desafiados por lutas diárias e inimigos gratuitos. Nesses dias pensamos: Será que o Senhor não está vendo? Por que Ele tarda tanto em assistir-me? Ficamos muitas vezes como o profeta Habacuque a dizer: Até quando, Senhor, clamarei eu, e tu não me escutarás? Gritar-te-ei: Violência! E não salvarás? Fazemos isso porque não somos na maioria das vezes capazes de ver seus atributos e de conhecer profundamente seu poder. Uma volta as suas promessas inseridas nas escrituras sagradas nos farão ter uma atitude diferente diante daquilo que nos desafia.
Uma olhada detalhada no Deus que servimos trará ao nosso coração a segurança necessária, pois conhecer a Deus é o segredo para uma vida permeada pela paz que excede todo entendimento.
É imprescindível que enxerguemos o Deus das escrituras como aquele que faz todas as coisas perfeitamente. O Deus que mede a palmos o universo que conhecemos tão pouco é aquele que governa as nações e sua vida de maneira planejada e ordeira. Ninguém o guiou, pois o soberano Senhor segue unicamente o conselho de sua vontade e tem a resposta certa para sua vida. É Ele que está acima de deuses e religiões, porque está assentado num alto e sublime trono, reinando sobre tudo e todos. Um Deus que não se cansa e que renova as forças do jovem e do velho e os faz voar como águias.
Portanto, se você se encontra cansado das lutas da vida, saiba que o Senhor que não se cansa é poderoso para renová-lo neste dia. Descansas no Senhor da tua vida, crendo que o teu caminho jamais passará encoberto aos seus olhos. Creia no seu governo, pois não só tem o mundo em suas mãos, mas tua vida também.
destaque_3Logo, o conselho que eu te dou neste dia é:
“Levantai ao alto os vossos olhos, e vede quem criou estas coisas…” (Isaías 40:26a).
Ele conhece as estrelas e sabe também o nome de cada um dos seus filhos. O Deus que é forte em poder te contempla agora neste dia e te diz: “conheço o teu caminho! Conheço a tua dor e sou soberanamente capaz de mudar tudo”. ALELUIA!!!
Logo, descanse em seus maravilhosos atributos! Descanse em Deus!!!
Ore neste dia para o Senhor aumentar a sua confiança nele e em sua palavra durante a caminhada.

Pr. Alexandro de Souza Felizardo
Série Devocionais online!

Texto publicado no Boletim semanal nº 1040, de 20/09/2015

Editor